Menu

BOLETIM DA SAÚDE – PGM 141

Banners

ABERTURA: Boletim da Saúde. Parceria Rede Nacional de Rádio e Ministério da Saúde.

 

LOC BENE: Olá ouvintes do Boletim da Saúde, é um prazer estar na companhia de todos! E vamos aproveitar sua audiência neste momento, para abordar assuntos muito importantes para a saúde de toda a população brasileira. Nessa edição, eu, Beneti Nascimento, estou no estúdio da Rádio Saúde com o Fabrício Lázaro operando a mesa de som, e aqui ao meu lado está a Débora Rocha, que vai nos apresentar os destaques desta semana. Quais as notícias para esse nosso boletim Débora?

 

LOC DEBORA: Olá todos vocês que estão nos acompanhando! Beneti, o nosso programa vai falar sobre a questão do sono e como a qualidade de uma noite bem dormida pode fazer diferença na nossa vida. Além disso, vamos explicar o que é a labirintite e em quais sintomas as pessoas devem ficar atentas. E para começar esta edição, vamos chamar a repórter Aline do Valle, que vai trazer uma reportagem muito bacana a respeito da febre e a importância desse alerta produzido pelo nosso organismo.

 

LOC ALINE: É isso mesmo Débora, esse tema é bem procurado nas redes sociais do Ministério da Saúde e afeta crianças, jovens, adultos e idosos. Todos já tiveram pelo menos um episódio de febre. Há quem diga que ela é um tipo de defesa. Outros, que é um mal necessário. Já há aqueles que têm medo da reação. Para esclarecer as dúvidas, o infectologista Leandro Machado explica o papel da febre no organismo.

 

“Na verdade, a febre é um alerta, igual a dor. Ela te avisa que alguma coisa não está indo como deveria ir. A grande maioria das bactérias e de vírus têm uma temperatura ótima que eles gostam de ficar – 36,37 graus. O aumento dessa temperatura desnatura as proteínas das baterias ajudando no combate. Mas isso não significa que você deva deixar a pessoa com febre”.

 

LOC ALINE: A febre é a resposta fisiológica do nosso organismo que pode ser causada por diversos estímulos. Por exemplo, quando nosso sistema de defesa destrói alguma bactéria, algumas substâncias são liberadas no sangue: os chamados pirógenos. Eles enviam um alerta ao hipotálamo – nosso centro de controle de temperatura localizado no cérebro – que em resposta, aumenta a temperatura do corpo a fim de terminar de destruir os invasores.  Acontece que, da mesma forma como a febre consegue desnaturar – ou seja “derreter” – vírus e bactérias, quando permanece por muito tempo, a febre pode prejudicar o nosso corpo – levando, por exemplo a danos no sistema nervoso central, como alerta o especialista.

 

“A febre leva a um dano. Ela tem que ser enxergada como um alerta de que alguma coisa não está certa. Buscar atendimento médico quando você tiver febre para diagnosticar a causa e não entender ela como um mecanismo de defesa. Ela é um mecanismo de alerta. Ela tem um papel na defesa, mas ela é mais um mecanismo de alerta do que de defesa”.

 

LOC ALINE: Os sintomas da febre devem ser combatidos logo no início. Cuidado: não tome nenhum medicamento sem indicação médica! Lembre-se de que a causa da febre precisa ser estudada e diagnosticada por profissionais capacitados.

 

LOC DEBORA: Muito obrigada pelas informações Janary. E é muito importante a gente reforçar que Em crianças e pessoas com o sistema imunológico comprometido por alguma doença precisam de cuidado redobrado.

 

LOC BENE: E vamos continuar com nosso giro de notícias para chamar o repórter Janary Damacena, que vai nos falar um pouco a respeito da importância de termos uma boa noite de sono. Então, Janary, para além de descansar de forma adequada, quais outros benefícios uma noite bem dormida pode nos proporcionar?

 

LOC JANARY: Então, Beneti, uma boa noite de sono faz a diferença no nosso corpo ao passo que uma noite de sono mal dormida pode gerar problemas de saúde, estresse durante o dia e até mesmo ser um indício de depressão. Durante meses, o estudante Marcelo Rios teve algumas dessas complicações para relaxar e dormir.

 

“Tinha muito cansaço e na hora de deitar a cabeça no travesseiro o cansaço simplesmente sumia e você não consegue dormir. Você começa a pensar em um monte de coisas que você deveria ter pensado o dia inteiro e não pensou, ou às vezes você passou o dia inteiro pensando no assunto, mas quando deita aquilo aumenta. Você imagina que vai explodir sua cabeça e você simplesmente não consegue pensar em mais nada porque não dorme. Você não consegue produzir nada o dia inteiro. Você sente que o seu dia é praticamente perdido e vira uma bola de neve porque todo dia é a mesma coisa e você não consegue descansar”.

 

LOC JANARY: De acordo com Luciane Mello, otorrinolaringologista do Hospital Federal da Lagoa (RJ), a insônia gera diversos problemas.

 

“A privação do sono leva a falta de atenção, a dificuldade de concentração, de memória, no caso a privação crônica do sono. Existe também uma relação da insônia com a depressão, então dormir pouco e com uma qualidade ruim, aumenta a irritabilidade e isso também acaba diminuindo a expectativa de vida. Então é importante que o sono seja de boa qualidade”.

 

LOC JANARY: Uma boa noite de sono é fundamental para o bom funcionamento do corpo, em especial, do cérebro. Então para dormir melhor, você deve evitar muitas luzes no quarto, além de não utilizar celular, tablets ou televisão por, pelo menos, 30 minutos antes de se deitar. Se possível deixe os alarmes de mensagens e redes sociais no modo silencioso.

 

LOC DEBORA: Muito obrigada pela reportagem Janary. E vale a gente destacar aqui, que é muito importante que sua última refeição seja duas horas antes de dormir e, de preferência, evitando comidas pesadas e muito gordurosas.

 

LOC BENE: E para finalizar essa edição, vamos explicar o que é a labirintite e em quais sintomas as pessoas devem ficar atentas. E para isso, a jornalista Patrícia Cordeiro preparou uma reportagem especial sobre o assunto! 

 

LOC PATRÍCIA: Sensação de tontura, desequilíbrio. Parece que tudo ao seu redor está girando. Comumente esses sintomas são conhecidos como labirintite -  uma inflamação no ouvido interno chamado de labirinto. É ele que nos ajuda a manter o equilíbrio. A doença pode ter origem viral ou bacteriana. Acontece que permanência da tontura pode descartar a labirintite. Isso porque, na maioria dos casos, a manifestação da doença é rápida, apesar de intensa. Como esclarece o otorrinolaringologista Jessé Lima.

 

“A labirintite é uma doença pouco frequente. Ela é uma inflamação no ouvido de curta duração geralmente o tratamento não é tão difícil apesar dos sintomas serem intensos. E, geralmente quando ela some, quando a gente consegue tratar, ela resolve e não é pra ficar voltando toda hora”.

 

LOC PATRÍCIA: Quando a tontura é persistente, outras doenças precisam ser investigadas, como alerta o especialista.

 

“A causa dessa tontura que se repete com frequência, geralmente não é labirintite, são outras doenças. Por exemplo, problemas do ouvido ou de fora do ouvido. Problemas do ouvido mais frequentes são alterações de micro cristais que a gente tem dentro do ouvido – que a gente chama de vertigem postural paroxística benigna; podem haver algumas doenças com aumento de líquido dentro do ouvido, por exemplo Doença de Menière... E existem doenças que não são originarias do ouvido, mas que elas geram esse desiquilíbrio também. Por exemplo, uma diabetes descompensada: a pessoa pode evoluir com tontura toda vez que a diabetes dela descompensa. Uma doença da tireoide que não estiver bem controlada, ela pode ter crises de tontura várias vezes...”.

 

LOC PATRÍCIA: Vale lembrar que a labirintite se resolve em dias ou semanas. Mas se mesmo depois do tratamento, os sintomas persistirem, procure auxílio de um profissional de saúde. E lembre-se: não tome nenhum remédio sem indicação profissional.

 

LOC BENE: Muito obrigado pelas informações Patrícia! E com essa última informação chegou ao fim o nosso programa. Se você gostou das reportagens ou quiser saber mais, acesse nossa playlist em SoundCloud.com/ministeriodasaude. Muito obrigado pela audiência. Uma ótima semana para todos e até o próximo programa Debora.

 

LOC DEBORA: E para continuar acompanhando outras notícias do Ministério da Saúde basta acessar o portal saúde.gov.br e as nossas redes sociais: facebook.com/minsaude e pelo twitter, @minsaude. Boa semana para todos e até a semana que vem Beneti!

 

ENCERRAMENTO: Boletim do Ministério da Saúde. Apresentação Debora Rocha e Beneti Nascimento. Reportagem: Aline do Valle, Janary Damacena e Patrícia Cordeiro. Trabalhos técnicos de Fabrício Lázaro e Rafael Santos. Realização Ministério da Saúde.

Comente...

Cadastre-se